Governo entrega instrumentos musicais para fanfarras escolares

Música, educação e cidadania. Na manhã desta segunda-feira (11), a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) deu início às entregas de instrumentos musicais nas escolas públicas da Rede Estadual.

No total, 35 escolas, das quais 28 em Salvador, serão diretamente beneficiadas com a entrega de 660 instrumentos de sopro. A primeira foi o Colégio Estadual João Caribé, em São Tomé de Paripe, cuja fanfarra foi vencedora da III Copa Nacional de Campeãs de Bandas e Fanfarras em Pernambuco; título inédito para a Bahia.
“Aqui, teremos médico, advogados, engenheiros, professores, mas podemos ter também grandes músicos. Cuidem com carinho dos instrumentos de vocês e podem contar com o nosso apoio para uma segunda etapa deste projeto e a entrega de mais instrumentos”, pontuou o secretário da SJDHDS, Carlos Martins.

O processo de mapeamento das fanfarras escolares teve início em 2015. À época, a ação incluiu capacitação com os maestros e mestres de fanfarras e, este ano, com os próprios alunos através do Núcleo Estadual de Orquestras Juvenis da Bahia (Neojiba). “O Neojiba desenvolve um trabalho fundamental de qualificação e inclusão social através da música, e valoriza também as crianças e jovens, eleva a autoestima e empodera. É a arte enquanto fator de transformação”, destacou Martins.

Para o maestro-coordenador do Neojiba e um dos idealizadores do projeto, Helder Passinho, as fanfarras escolares, tal qual o Neojiba, têm a missão de desenvolver, socialmente, crianças e jovens a partir da prática musical coletiva. “Elas são responsáveis pelo primeiro contato com a música e é muito importante garantir a qualidade do ensino desde a ponta”.

Por conta da limitação dos antigos instrumentos, não era viável a execução do Hino Nacional e do Hino ao 2 de Julho, por exemplo. “Com esses instrumentos novos, já estamos disponibilizando os dois arranjos para que os alunos executem ambos no próximo desfile da Independência”, afirmou Passinho.

O projeto também prevê que alguns alunos das fanfarras escolares sejam selecionados para integrar o Neojiba ou encaminhados a outras orquestras, como a do Teatro Castro Alves, para qualificação e formação profissional. Na Banda Colegial João Caribé, são 70 crianças e jovens do 6° ano Fundamental ao 3° ano do Ensino Médio.
“A grande virtude deste projeto é resgatar as bandas escolares. E qual lugar melhor para descobrir novos talentos que na escola?!”, enfatizou o mestre da fanfarra local, Hermival dos Santos. Em agosto, o grupo irá disputar o 2° Troféu Brasil Internacional, no Rio Grande do Sul.

Áudio:

Foto: ASCOM/SJDHDS

Galeria

Related Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *