Faculdade de Medicina vai gerar novo impacto sócio-econômico em Alagoinhas e região

A instalação da Faculdade de Medicina em Alagoinhas, cuja obra deve ser concluída em 15 de outubro próximo, vai ser um novo divisor de água­s na economia e nos aspectos sociais da cidade. Com um investimento de R$ 9,5 milhões, a obra mobilizou trabalhadores, casas de materiais de construção, hospedagem, transporte e uma série de insumos, gerando novas receitas para a cidade antes de sua instalação. Depois, novos setores da economia vão se juntar a esses e formar uma cadeia produtiva extremamente rentável para a cidade.
Instalada na Avenida Litoral Norte, na área da Calu, às margens da BA 504, estrada de acesso a Araçás, recentemente batizada pela Câmara Municipal e colocada como o novo vetor de crescimento econômico de Alagoinhas, a Faculdade Estácio vai estar se inserindo na cidade numa das áreas de maior expectativa de crescimento.
Não é à toa que pelo menos quatro grandes construtoras já adquiriram terrenos naquela área, uma já construiu um conjunto popular e as outras estão aguardando a conclusão desses equipamentos que vão ser erguidos naquela área. São previstos cinco novos conjuntos habitacionais, uma média de dez mil novos moradores.
A Prefeitura de Alagoinhas, segundo prefeito Joaquim Neto, vai investir numa nova avenida naquele local, dando um novo visual e melhorando a infraestrutura do local. O sistema de transporte, segundo o diretor-geral da SMTT, Luis Fernando, ainda está estudando como vai garantir linhas regulares de transporte para aquela região, hoje bastante deficiente. As vans que fazem linhas constantes para Araçás deverão aplacar a deficiência do sistema convencional de transporte.
O Prefeito Joaquim Neto garantiu também que ali será erguido o Hospital Municipal
Quando o curso estiver completamente maturado, a faculdade terá um quadro de cerca de 60 professores, 30 funcionários próprios e cerca de 30 terceirizados, além de uma geração de empregos indiretos de 300 pessoas aproximadamente.
Depois de inaugurada, com previsão para 15 de março, quando já iniciam as aulas com os 65 primeiros alunos, a Faculdade vai gerar um novo impacto econômico. Virão para Alagoinhas estudantes de várias partes do país, aquecendo a economia em seus diversos aspectos.
Desses 65 alunos, dois serão bolsistas de Alagoinhas. A Faculdade Estácio não divulgou os critérios de seleção, mas o prefeito Joaquim Neto disse que será destinada a pessoas cuja renda per capta não ultrapasse o valor de R$ 1.500,00/mês.
A mensalidade pode assustar um pouco, R$ 8 mil, bem longe dos padrões financeiros da maioria da população, mas acessível às classes média e média alta. Muitos pagarão a mensalidade de seus filhos sem reclamar, afinal, um médico na família ainda continua sendo o sonho de consumo de grande parte da sociedade brasileira.
E os custos não param na mensalidade, pois, mesmo em universidades públicas, os gastos com transporte, moradia, alimentação, livros, cópias e cursinhos são inevitáveis e fazem parte da vida de todo estudante.
VISTORIA – Em outubro e novembro a instituição vai receber a visita de técnicos do MEC para credenciamento da faculdade e as portarias de autorização devem sair por volta de dezembro, diz a assessoria de imprensa da Estácio. “A partir da publicação das portarias, lançaremos o edital para o processo seletivo dos alunos, que será feito usando a nota do Enem. Portanto, os candidatos a medicina podem usar a nota do Enem, se o fez nos últimos três anos ou poderão usar a nota do Enem 2017. O processo de inscrição para vagas em medicina deve iniciar em dezembro e vai até fevereiro”, diz a nota.
A nova faculdade de Medicina da Estácio em Alagoinhas possui a estrutura e currículos alinhados com as novas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) e com o que existe de mais moderno em Educação Médica no cenário brasileiro e internacional.
A direção não fala em construção de hospital na faculdade, mas em estabelecer convênios com a rede pública e se necessário, no momento oportuno, com clínicas particulares, viabilizando a inserção dos alunos no setor. Em compensação, a faculdade prevê a implantação de um programa de residência médica, que quando completamente implantado será composto de 65 médicos em Alagoinhas, que atuarão na rede de saúde local.
O novo curso de medicina será ministrado utilizando as mais avançadas técnicas de ensino, baseadas em análises de problemas e muitas práticas desde o primeiro semestre. O prédio da faculdade terá área de cerca de 5 mil m², com estacionamento, 15 salas de aulas, laboratórios diversos, com um sofisticado laboratórios de simulação realística, auditório, salas de videoconferência e bibliotecas com livros e acesso à base de mais de 50 mil publicações mundiais.

Foto: Arquivo Estácio

Reportagem: Vanderley Soares

Related Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *