Pequenos e médios empreendedores querem mais incentivo em Alagoinhas

IMG_1708

 

Fomentar o registro de pequenos e médios empreendedores, dar mais incentivo e condições de trabalho. Esses foram os pontos principais debatidos na manhã de hoje (1º), durante audiência pública convocada pelo vereador Jenser Souza (PMDB), presidente da Comissão de Finanças da Câmara Municipal de Alagoinhas, com o apoio CEMID – Conselho Municipal de Inclusão Digital, através de seu presidente, José Santana.

Presenças de três secretários municipais, sete vereadores, lideranças empresariais e comerciais da Central de Abastecimento, Sicomércio e pequenos e médios empreendedores apontaram caminhos que devem ser perseguidos pela administração pública para qualificar e dar ao pequeno empreendedor uma oportunidade maior no comércio local.

Embora o tema fosse uma abordagem sobre os pequenos e médios empreendedores de um modo geral, o assunto Central de Abastecimento acabou se transformando no assunto principal. Jenser Souza lembrou que quando era secretário da Agricultura havia uma média de 2.700 pequenos comerciantes cadastrados na Central de Abastecimento. “Não podemos conceber uma Central com grandes comerciantes, em detrimento daqueles que produzem e vendem seus produtos”, disse Jenser. Ele ainda foi mais longe ao chamar os grandes empreendedores da Central de usurpadores, pois não pagam luz, água e segurança, e se beneficiam de toda a infraestrutura e logística montada na Central. Ali são movimentados R$ 1 milhão em negócios por dia, mas grande parte do que é vendido na Central ainda vem das Ceasas de Feira de Santana e Salvador.

O vereador José Cleto disse que enquanto não houver um Governo que enfrente o problema com determinação não haverá solução. José Cipriano, líder entre os feirantes e um dos mais antigos na Central, disse que é necessário a aplicação e ampliação da Lei Municipal de Incentivo aos Pequenos Agricultores na aquisição de produtos para a merenda escolar.

O vereador Roberto Torres, presidente da Câmara Municipal de Alagoinhas, defendeu um maior incentivo aos pequenos e médios agricultores, melhorias na infraestrutura da Central e programas de capacitação e gerenciamento informal.

O presidente do Sicomércio, Benedito Vieira, defendeu um aprimoramento do sistema da Central, capacitando os pequenos comerciantes até ao uso de maquinetas de cartão de crédito, hoje, segundo ele, baixou de R$ 116 para R$ 9,90 por solicitação do sindicato.

Gil Sucesso, comerciante da Central de Abastecimento e gerador de três empregos diretos, disse que é necessário um maior investimento na Secretaria da Agricultura, dando a ela um suporte maior, não apenas para melhorar as estradas vicinais, mas também dotar aquele equipamento de infraestrutura capaz de dar ao comerciante e ao comprador satisfação ao vender e comprar.

Também foi abordada a questão da higiene na Central. Pombos e ratos disseminam doenças diretamente nos produtos que são adquiridos diariamente pelos consumidores.

 

Vanderley Soares

Assessor de Comunicação Social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *