SEMAS e governo estadual farão ação contra violência rural

A técnica da Secretaria Estadual de Políticas para as Mulheres Sarana Brito apresentou na tarde desta segunda-feira, 12, para um quadro de técnicos da Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS), formado por especialistas do CRAS, CREAS e Diretoria de Reparação, o programa estadual de acolhimento à mulher da zona rural contra a violência. No encontro ficou definido que, no dia 22 de janeiro, as unidades móveis do programa estarão no Distrito de Boa União, atendendo das 8h às 12h e das 14h às 17h30; já no dia 23, será vez do Distrito de Riacho da Guia, somente das 8h às 12h.

A apresentação aconteceu no Centro de Referência em Atendimento à Mulher (CRAM), situado na 4ª Travessa Parque São Benedito, 17, Jardim Petrolar. Sarana mostrou que a ação é baseada no deslocamento de equipe multidisciplinar (psicólogo, assistentes sociais, advogado, acolhedores) que se integram às equipes municipais para atendimento às mulheres rurais utilizando dois ônibus cedidos pelo governo federal.
“O objetivo é realizarmos uma ação para o enfrentamento de violência contra a mulher do campo. Pedimos o apoio do município, e, em Alagoinhas, com a participação da SEMAS acreditamos que o trabalho será realizado com êxito. Viemos com o intuito de adicionar, ampliar o bom serviço que já é feito no município”, comentou a técnica Sarana Brito.

Acrescentou que o programa vai rodar toda a Bahia, os 27 territórios, e que a avaliação até o momento é positiva porque as mulheres passaram a usar mais o telefone 180 para denunciar qualquer tipo de agressão. “Antes, éramos o sexto neste tipo de chamada. Agora, já somos o segundo”, afirmou.

A representante das mulheres rurais Mair Torres informou que os homens da zona rural alagoinhense estão mais conscientes sobre o respeito às mulheres, deixando de lado a violência. “Antes havia muitos casos, mas agora reduziu bastante e é registrado em casos esporádicos de bebedeira. A mulher rural também vem se conscientizando e exigindo respeito e igualdade nos seus direitos”.

Já Ludmila Fiscina comentou que essa é uma causa nobre e a SEMAS está aberta a toda cooperação para sanar este problema. “Já realizamos um trabalho de acolhimento às mulheres que sofrem algum tipo de agressão e esperamos que essa parceria, com o Estado, nos coloque em uma posição de destaque quanto a eliminação deste mal”.

Os ônibus (unidades móveis) são equipados com duas salas de atendimento, notebooks com roteador e pontos de Internet, impressoras multifuncionais, geradores de energia, ar condicionado, projetor externo para telão, toldo, 50 cadeiras, copa e banheiro adaptados para a acessibilidade de pessoas com deficiência. A proposta dos veículos visa atender as necessidades de atenção às mulheres do campo. O deslocamento possibilitará a identificação de demandas que usualmente não são identificadas.

Além da diretora de Reparação Ludmila Fiscina, participaram do encontro pela SEMAS os psicólogos Neuza Santoro e Luiz Henrique, a assistente social Gleyde Lene, Cristiane Caldas (CRAS do Riacho da Guia) Fabiana Bittencourt (CRAS de Boa União), Adriana Maciel (Secretaria da Saúde  SESAU) e  outros técnicos.

*Ascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *